10 Técnicas de Black Hat SEO a Evitar

black hat seo

10 Técnicas de Black Hat SEO a Evitar

Partilhar artigo

As técnicas de black hat SEO infringem as diretrizes do Google e são puníveis.

Uma estratégia de SEO comtempla uma abordagem on page e off page. Neste artigo, vou falar sobre o que é black hat SEO. Assim, vai evitar punições e exclusão do Google. Resumindo, são práticas consideradas antiéticas e manipuladoras que afetam o desempenho. Continue a ler e confira tudo abaixo.

Ao rejeitar o black hat SEO está em conformidade com as regras do Google. Desta forma, a sua estratégia de marketing digital fica reforçada no mercado. Afinal, o objetivo é rankear nas primeiras posições. Contudo, é preciso produzir conteúdo relevante e aplicar técnicas de search engine optimization.

Descubra agora, 10 técnicas arriscadas de black hat SEO. Comece a atrair mais clientes ao divulgar a sua marca nos motores de busca. Por isso, evite más práticas no processo de otimização de sites. Assim, aumenta a probabilidade de aparecer na primeira página do Google. Adote uma postura íntegra.

Contudo, ter um plano de execução é fundamental. Sobretudo, se decidir ter a disciplina necessária para agir diariamente. Então, aprenda o que é black hat SEO.

Cloaking: Camuflagem, em tradução literal, é a técnica em que o desenvolvedor configura para que uma página seja exibida de uma forma para os robôs dos buscadores, responsáveis pela leitura e indexação da página pelas ferramentas, e de outra maneira para os usuários, definindo isso por meio da tag user-agent. A página que é exibida para os robôs é feita somente com o objetivo de ganhar posições no ranking e utiliza todas as técnicas possíveis para isso, sem a necessidade de se importar com usabilidade. Já a página que é exibida para o usuário é totalmente diferente, em geral sem muita relevância e de baixa qualidade. Ao aplicar essa técnica, o site será penalizado pelo Google Penguin!

Linkfarm: É literalmente uma “fazenda de links”, em que todos os participantes geram links entre si, na tentativa de melhorar o pagerank de todos os sites. Não é muito difícil identificar sites que ainda utilizam a Linkfarm: eles possuem o conteúdo como todos os outros, porém repleto de links para sites sem nenhuma relevância. Tal prática fez muita diferença na época em que só o pagerank importava, levando sites de baixa qualidade para o topo do Google. Porém agora tudo o que ela vai gerar é uma penalização do Google.

Blog SPAM: Você já viu comentários totalmente irrelevantes em blogs e fóruns, somente com o objetivo de incluir um link? Essa é mais uma tentativa de se obter autoridade e tráfego de uma forma mais fácil. Existem até ferramentas desenvolvidas somente para distribuir links nesses locais. É uma prática que já foi muito comum para tentar melhorar o pagerank, porém caiu em desuso com a inclusão da tag nofollow nesses espaços, indicando para os robôs dos buscadores que todos os links inseridos no local não devem receber nenhuma autoridade. Hoje a única vantagem que ainda existe ao incluir um link em comentários e fóruns é a geração de tráfego e até a possibilidade de geração de leads com isso. Nesse caso, se o link for relevante para a discussão no fórum ou para os comentários do conteúdo, incluir um link nesses locais pode trazer resultados positivos.

Links Pagos: Basicamente, o objetivo é pagar para um site gerar um link para você. E isso não se aplica somente a dinheiro, mas também oferecer um desconto no produto ou uma vantagem na empresa, por exemplo. Qualquer link gerado só por uma recompensa é considerado link pago. De todas as técnicas, essa é a mais difícil de ser identificada pelo algoritmo do Google, pois não tem como o Google descobrir se você conversou com um amigo em um café e pagou para ele incluir um link para o seu site. Para evitar ao máximo essa técnica, o Google analisa também a relevância existente entre os sites. Não é algo natural um ecommerce de sapatos gerar um link para o site de um açougue, concorda? Outro acompanhamento do algoritmo do Google que pode identificar essa e outras estratégias é quando um site começa a obter vários links do dia para a noite. Isso com certeza é um indício de black hat e esse site passa a ser acompanhado de perto. A recomendação é não aderir a essa estratégia já que, como ela é mais uma forma de driblar os buscadores, também é passível de punição. Se você já toma atitudes como essa, não se assuste se chegar um momento que seu tráfego orgânico despencou, pois é um risco que você está correndo. Lembrando que conteúdo publieditorial também é considerado link pago, exceto quando é incluída a marcação nofollow nos links, indicando aos robôs dos buscadores que não deve ser passada nenhuma autoridade para aquele site.

SEO Negativo: Alguns webmasters optam por não aplicar técnicas de black hat para o próprio site, mas sim por prejudicar os concorrentes com técnicas de SEO negativo (também conhecido como negative SEO). Essa técnica consiste em incluir comentários e avaliações negativas no site e no Google Meu Negócio dos concorrentes e até gerar diversos links de baixa qualidade para seus sites (chamados links tóxicos), para gerar uma punição dos buscadores. Felizmente o Google disponibiliza algumas formas de contornar essas atitudes. As avaliações irregulares no Google Meu Negócio podem ser denunciadas ao Google e têm grandes chances de serem removidas. O Google Search Console também disponibiliza a ferramenta Disavow Links, com a qual é possível incluir uma lista de links tóxicos do seu site, indicando que você não quer receber esse link e removendo qualquer vínculo (o link para seu site vai continuar lá, mas ele não será prejudicado por isso).

Doorway Page: ou gateway page. É uma técnica que também explora cloaking, porém aqui são criadas várias páginas focadas no acesso de robôs, cada uma otimizada para uma palavra-chave específica. E, quando o usuário acessa, encontra um conteúdo totalmente genérico e algumas vezes sem nenhuma conexão com o que foi buscado. Em 2015 o Google lançou uma atualização no algoritmo específica para identificar e penalizar sites que exploram a Doorway page.

Conteúdo Oculto: Outra técnica antiga de black hat que também já fez muito sucesso era uma forma de inserir mais palavras-chave, outros termos relevantes e links somente pensando nos buscadores, sem mostrar nada ao usuário. As formas mais comuns de empregar essa técnica são ao aplicar o texto na mesma cor do fundo do site, reposicionar o texto para fora da página via CSS e alterar o tamanho da fonte para zero. O Google tem todas essas formas de ocultar conteúdo mapeadas há algum tempo e consegue identificar e penalizar facilmente sites que utilizam essa técnica. A regra aqui é nunca incluir “Conteúdo oculto” na sua estratégia SEO.

Keyword Stuffing: Uma das primeiras técnicas de black hat utilizadas para tentar manipular o Google, a estratégia consiste em incluir uma palavra-chave em determinada página o máximo de vezes possível, na tentativa de aumentar a densidade de palavras chave da página e mostrar relevância aos buscadores. Isso inclui o próprio conteúdo, seu título, meta tags e até o texto alternativo de imagens. A equipe do Google percebeu que muitos sites estavam abusando da aplicação de palavras-chave nas páginas com o único objetivo de conseguir as primeiras posições, e também que o número de vezes que a palavra-chave aparece no texto não é uma garantia de relevância. Desde meados de 2000 o Google vem diminuindo a relevância da densidade da palavra-chave na página e até penalizando seu uso em excesso. Com a atualização do Panda, muitos sites acabaram perdendo posições e tráfego pela prática de keyword stuffing e tiveram que correr atrás do prejuízo. Para passar longe dessa técnica e até evitar uma penalização, a recomendação é produzir os textos com naturalidade, mantendo a densidade da palavra-chave da página em 2% ou menos, e também priorizar o uso de sinónimos. Antes de publicar a página, leia e solicite a leitura de outras pessoas para garantir um texto com mais qualidade.

Conteúdo Duplicado: Você conhece a frase “nada se cria, tudo se copia”? No caso do conteúdo das páginas do seu site, esqueça. Isso porque, para o Google, conteúdo bom é conteúdo original. Qualquer página que tenha um conteúdo idêntico a outro já publicado é considerado um conteúdo duplicado. Muito se discute entre webmasters se realmente há uma penalização por isso, mas o fato é que, quando existem conteúdos semelhantes online, o Google vai priorizar apenas um para exibir ao usuário, geralmente o que foi publicado primeiro, e ocultar as cópias dos resultados de busca. Somente se você copiar conteúdo de maneira excessiva, ou tiver uma automação para copiar conteúdo de outros sites, você será considerado SPAM e certamente será penalizado por isso. Por esses motivos, evite copiar conteúdo de outros sites, principalmente concorrentes, pois na maioria das vezes você vai estar fazendo um favor a eles, já que o Google vai optar por exibir o conteúdo original sobre o assunto, que não será o seu. Opte por outros conteúdos relevantes para o seu negócio como referências para fazer algo melhor e mais completo. Além de não copiar conteúdo de outros sites, são necessárias algumas configurações no seu próprio site para corrigir problemas comuns que podem ser considerados conteúdos duplicados, como paginação do site, conteúdos semelhantes e uma versão mobile do site, por exemplo.

Private Blog Networks: PBN é uma rede composta de vários blogs e sites que geram links para o site que precisa subir no ranking do Google. Os sites presentes na rede geralmente têm uma boa autoridade online, pois são domínios antigos que expiraram, voltaram para o mercado e foram adquiridos para esse objetivo. Existem diversos sites e até empresas focadas somente nisso! Como o algoritmo do Google está cada vez mais inteligente e rígido, desenvolvedores e proprietários de sites estão aprimorando essa técnica para evitar uma punição (que pode ser até a exclusão do Google). Para isso, tomam certos cuidados na hora de criar ou contratar uma PBN, como garantir que os sites usem diferentes CMSs e registrar os domínios no nome de pessoas ou empresas diferentes. No início de fevereiro de 2017 houve uma grande atualização no Google Penguin, com o objetivo de melhorar ainda mais a detecção de PBNs, gerando quedas bruscas de tráfego de diversos sites que usavam essa estratégia.

Neste momento, acredito que está mais esclarecido. Aproveite para colocar tudo em prática. Afinal, já percebeu o que é black hat SEO.

Conheça o guia prático de inbound marketing. Por fim, desejo-lhe o maior sucesso na gestão do seu negócio e boa sorte para a sua vida.

Espero que tenha gostado e que este conteúdo possa ajudar-lhe. Deixe o seu comentário em baixo e partilhe este artigo com a sua rede de contactos. Além disso, não se esqueça, acompanhe todas as novidades aqui no meu blog. Até breve!


Partilhar artigo

Deixe o seu comentário